Total de visualizações de página

23/06/2012

vidaempensamentoscris.blogspot.com.br


Deixe que seus amigos
      façam parte de sua vida.
      Dividindo com eles
      todos seus momentos
      sejam de tristezas ou alegrias
      pois eles são os unicos bens que valor realmente tem
      em todas suas passagens
      seja na infancia
      seja na adolescencia
      seja na maioridade
      ou na terceira idade
      Tudo nessa vida passa
      nada de material permanece ou fica.
      Tudo muda,
      a sempre presente e eterna mudança,
      mas os sentimentos ficam
      os verdadeiros amigos sempre ficam
      e tenho a sensação que tambem permanencem além do além,
      pois amizade envolve amor
      e Amor  é a unica coisa que fica, permanece
      do principio ao final de todos os tempos…♥♥

vidaempensamentoscris.blogspot.com.br

vidaempensamentoscris.blogspot.com.br

vidaempensamentoscris.blogspot.com.br

vidaempensamentoscris.blogspot.com.br

vidaempensamentoscris.blogspot.com.br

vidaempensamentoscris.blogspot.com.br

vidaempensamentoscris.blogspot.com.br

vidaempensamentoscris.blogspot.com.br

vidaempensamentoscris.blogspot.com.br

vidaempensamentoscris.blogspot.com.br

vidaempensamentoscris.blogspot.com.br

#PensamentosPitty






SEDUÇÃO


SEDUÇÃO


Vanda 

Que sonhos ocultas em seus olhos?
Luz estranha... Me fascina o quanto quer...
Por que assim é?
Me faz frágil, indefesa, mas... Mulher...

Quero fugir, te esquecer e me iludo,
Que a distância muito pode ajudar.
Mas não posso fugir eternamente,
Então volto e continuo a te lembrar.

Não tens culpa. É o amor,
Que despertou amor em mim também.
A cor de seu olhar tão sedutor,
Me embriaga, me entontece, me faz bem.

Vida minha... Tão vazia... Estou sozinha...
O tempo passa e traz com ele solidão.
Por que você, despertou em minha vida,
Algo mais... para mais desilusão?

Se não te vejo, a saudade me sufoca.
Se te vejo, sinto o mundo desabar.
É difícil! Não sei o que fazer,
Desolada estou... Não tenho forças pra lutar.

Por que tem que ser assim?
Gostar sempre da pessoa errada...
Se o destino assim é, que assim seja!
Mas, me sinto angustiada...

Se vais embora, que sejas bem feliz!
Se vens comigo, que o sejas muito mais!
Quem ama renuncia a própria vida,
Em prol da pessoa amada, tudo faz...

EMBARAÇO


EMBARAÇO
(vada)

Te amo, a arte de amar
Os encantos desse mundo.
Vivendo a vida e sonhando
Num certo mistério mudo.

Te gosto, gostando do belo,
E de teu jeito, displicente.
Lisonjeiro e carinhoso,
Cativa a alma “da gente”.

E num misto de mistério e sonho
Não me deixo amor, amar...
Busco o abrigo das estrelas,
Do céu, da Terra, do mar.

Num desalento profundo
Deixo seguir pela vida
Meus anseios... alegrias...
E alguma tristeza escondida.

À deriva, me embaraço
Nos grandes braços do amor,
Nas teias de funesta paixão,
Nos laços fortes da dor.

SONHOS


SONHOS


Vanda de Freitas 

Desnuda está a ilusão de te envolver
em meus sonhos de amor eloqüente,
no abraço que não deixa espaço
no corpo, no espírito, na mente.

Meu silêncio te busca,
mas meu riso te a ofusca a visão de me ver
com a paixão que agride, explode e deprime
quem só... no silêncio... a pode ter...  

Meus dias vou levando,
numa ânsia contínua de habitar o infinito
do amor pela vida de todas as vidas
existentes nesse mundo de coisas,
sem pela vida, sair tão ferida.

E além das alturas, vou sonhando
meus sonhos de gente grande,
que sofre, luta mas caminha, na chuva,
no Sol.
Buscando o abrigo no abraço amigo,
da luz das estrelas, da Lua, do arrebol...

E no abandono da distância,
no ultraje da  saudade
dos meus sonhos de criança pura 
de sentimento,
vou trilhando meus caminhos
que me levam a lugar nenhum...
Só... vou ficando ao relento...       

E confesso que esqueço que ainda 
não me defini.
Não sei o que quero, como quero 
e porque quero;
pois o  tempo passou... eu cresci 
e não vivi
os meus sonhos infantis e, infantilmente, ainda espero ..♥

FRÁGIL MULHER


FRÁGIL MULHER

Vanda de Freitas 


Coração de mulher, sangrado,
foi alvo de emoções desgovernadas
na triagem rumo ao espaço
da boca do túnel do medo,
que vomita a confusão de sua mente confundida
pelas controvérsias do amor.

Tramita sem rumo,
as alamedas de seus pensamentos desconexos,
que traz os reflexos
do porto inseguro
em que mora seu amor inocente,
mas, que lhe causa dor.

Nos olhos da alma
de mulher insegura,
espelham miríades de ilusões
sufocadas pelo machismo
do homem que habita
nesse mundo de gente,
que as barreiras da vida
não conseguem transpor.

A cabeça não comporta
o fluxo de idéias que atormenta
o demônio que se tem dentro de si, e,
sem prever conseqüências,
solta-o, rumo ao desconhecido,
que, desinibido desata as
amarras da ignorância,
depois volta-se ferida, vencida,
por ser tão errante no amor.

Corpo de mulher...
Frágil ave de rapina
dos ares, dos mares,
de toda beleza, enfim... 
Quer devastar também
o coração  do homem o
dos teus sonhos de amor,
mesmo que se faça presa premida
nos braços da dor.

ÚLTIMO BEIJO...


ÚLTIMO BEIJO...


Vanda de Freitas 


Dê-me um último beijo
Um último beijo e irei-me embora...

Sou barco sem lume
Sou flor sem perfume
Sou a dor que se resume
Em ansiedade total.

Sou estrela sem nome
Sou a sede e a fome
Sou angústia que consome
O maior ideal.

Sou célula sem vida
Sou volta sem ida
Sou a filha esquecida
Do bem e do mal.

Dê-me um último beijo
Um último beijo e irei-me embora...

SONETO DO “SÓ”


SONETO DO “SÓ”

Poema escrito por
Vanda de Freitas 

Vagando no tempo, perdi-me
Nas teias da grande ilusão
De que eram meus seus lindos olhos
Sua alma e coração.

E na doce ilusão do momento
Adormeci e sonhei
Que vinhas há milênios comigo
Pelos mundos onde andei.

Almas gêmeas que se reencontram
No amor; no mais puro amor,
Sublimados pela dor.

Acordei enfim!
Procurei-te. Procurei...
Não estavas junto a mim.

TRISTES VERSOS


TRISTES VERSOS


Vanda de Freitas 

Eu choro em versos
Minha desdita
E angustiada
Minh’alma grita.

Passo horas
De meu degredo
Fazendo versos
De amor e medo.

Lembranças fluem
Com liberdade
E triste choro
Minha saudade.

Caminho trôpega
Pela existência
Fazendo versos
Com indiferença.

E se ouço a voz
Da consciência
Sufoco os versos
Com violência.

Triste sou
Por excelência
E explico em versos
Mas sem ciência.

Que o meu martírio
Meu amargor
É contar em versos
A minha dor.

DESVARIO


DESVARIO


(vanda de freitas bezerra)

Minh’alma se desencaminha
nos mais vastos devaneios e,
nesse desvario tenho embriagada
a voz da consciência.
Sou uma insensata
que se sucumbe só ...

Vacilando, caminho
em passos trôpegos
nessa estrada ensombrecida
pelo augúrio
do meu triste fim.
E,  debilitada descanso
nos braços da amargura
da boca da fera
que sorri pra mim.

Todavia, solícita,
uma lágrima importuna
irrompe moldurando
meus olhos encovados
nas entranhas da face
de uma tristeza constante,
imorredoura companheira
dos débeis... fatigados...

Os amigos se foram
no tempo que extingue
a volúpia dos abraços,
sorrisos, num aviso
de que as feras me espreitam
em portas estreitas,
na ânsia do ataque,
sem pena... sem riso...

E como ébrio na bebida ingerida
nas noites nefastas,
em que a solidão se apodera da fera
que trago comigo
no abrigo do peito dilacerado
pelo punhal da saudade
do meu inefável amor amigo,
vou entoando meu cântico
de aversão pela falsidade
do abraço sem laço
e do beijo fingido.

ESTRELA


ESTRELA


Vanda de Freitas 

Milhares de estrelas
vertem  seu brilho sobre a Terra.
O prenúncio da noite chega também
no coração da existência de uma vida
sequiosa de venturas...

Soluça o vento
Vez outra nos arredores
sacudindo as folhas leves da saudade...
Pra onde foram as esperanças que outrora
tremulavam no tempo?

Murmura o rio
nos  confins de um sonho remoto,
quando ainda havia melodia a embalar
os corações que enamorados  se sucumbiam
de grandes paixões, na fúria louca do amor.

Tudo é silêncio...
Partiu o navio da ilusão.
Pra onde foi?
Há mistérios escondidos
nas estradas dessa busca...

E quando su’alma de esperar se cansa
suplica aos céus a esperança
de encontrá-la!  de vê-la!

Mesmo descrente, cansada,
pelos tropeços da estrada
quer alcançar sua ESTRELA.

EU SOU O QUE SOU


EU SOU O QUE SOU

Luciana Saldanha

Eu sou o que sou.
Eu sou imbuída de pura emoção,
 me movimento por paixão.
Paixão pela Vida, e assim vou.
Eu sou o que sou.
Não meça meus sentimentos.
Deles sei eu.
Faço parte do Sol e da Lua,
da chuva delicada,
torrencial e do mar profundo,
intenso, passional.
Eu sou incondicional.
E sou o que sou
Você não me vê, mas sente,
Sabes que sou presente 
e reconhece os sentimentos 
que tenho por ti.
Eu sou o que Sou
Uma impressão forte e única,
para toda a vida.
Eu sou o que sou.

“CONTRADIÇÃO"


“CONTRADIÇÃO"  

Vóny Ferreira

Se escorrego no silêncio
Esbracejo, protesto ferida
Na quietude dos meus gestos.

Procuro sedenta as palavras
Atropelo vencida a esperança
E corro… corro em desatino
Fugindo apavorada dos meus medos!

Porque me afligem os segredos?
Porque me massacra essa ausência?
Porque se enaltece e entristece a alma?

Nada sei…
No entanto…

Nem a dor do corpo suaviza
Nem a dor da alma se acalma
Blasfemo em silencio

Renasço nesse silêncio
Para logo depois morrer de novo
Através do vento que se exalta.

É como se fosse uma árvore
Morrendo lentamente de pé
No topo de uma montanha

Ah… se escorrego no silêncio
Sinto o corpo dorido e dormente

Sinto-me refém de mim mesma
Porque às vezes a minha pobre alma
Parece chorar em silêncio
de contente!
P.S. -
Pensamento:
Escorregar no silêncio
É muitas vezes ferir o corpo
Mas suavizar a dor que nos vai na alma!